Saiba como fazer um planejamento escolar eficiente para 2018

Com o início de um ano letivo, os gestores escolares devem reunir as suas equipes para construírem juntos um planejamento escolar eficiente. Neste momento, o grande desafio é determinar quais são as ações necessárias para obter sucesso nas escolas. 

Diante desse contexto, é importante considerar o planejamento colaborativo no meio escolar, ou seja, que visa a colaboração entre pais, alunos, professores, coordenadores e gestores. Assim, esse planejamento foca no bom desempenho acadêmico e tem o retorno financeiro como consequência.

Sabendo que a criação de um planejamento escolar de sucesso pode ser um grande desafio para quem está à frente de uma unidade de ensino, decidimos mostrar como novas estratégias podem fazer a diferença durante a realização de um planejamento, trazendo resultados positivos para a instituição de ensino.

Quer saber como colocar essas estratégias em prática? Então, confira a seguir como fazer um planejamento escolar de sucesso para 2018. Boa leitura!

Envolva toda a comunidade escolar

O primeiro passo para fazer um planejamento é reunir todos os profissionais envolvidos no processo educacional, principalmente os professores, com o intuito de dialogar sobre o futuro da escola. Isso ocorre pois somente os docentes podem fornecer relatos reais sobre o dia a dia com os alunos.

Assim, a participação dos educadores deve ser ativa tanto na elaboração do planejamento escolar quanto no acompanhamento do desempenho e na mensuração de resultados. Afinal, são esses profissionais que poderão conceder um panorama para futuras tomadas de decisão considerando o projeto político pedagógico (PPP), por exemplo.

Dessa forma, fica evidente que é essencial acolher o conhecimento e a opinião de todos os participantes do debate, estabelecendo uma relação de igualdade entre eles durante o planejamento escolar.

É importante salientar que quanto mais opiniões e experiências forem compartilhadas, mais relevante será a discussão e, consequentemente, mais eficiente e democrática será a produção do planejamento.

Isso porque, por meio do debate, a escola ganha diferentes perspectivas que auxiliam o gestor a encontrar a raiz de um problema e, consequentemente, uma solução mais eficiente para ele.

Além disso, a democracia durante o planejamento escolar mostra aos professores, aos coordenadores e aos demais profissionais que eles são importantes para escola. Portanto, as opiniões de todos são valorizadas, o que, naturalmente, os motiva a ir além.

Delegue responsabilidades

Quando falamos em reunir a comunidade escolar, isso também significa delegar tarefas, ou seja, ter uma administração mais descentralizada. Portanto, cada uma das ações previstas no planejamento escolar deve “ganhar” um responsável.

Inclusive, muitas escolas estão adotando a figura do supervisor escolar, que pode atuar como um braço direito do gestor. Além de contribuir significativamente na concepção dos projetos, esse profissional deve assumir o papel de coordenação e monitoramento de todas as atividades fixadas na programação.

Faça análises e proponha melhorias

A instituição de ensino deve, necessariamente, consultar os seus planejamentos anteriores, a fim de verificar — a partir da análise de dados — as atitudes que trouxeram benefícios para a organização e as que precisam ser substituídas.

Isso porque uma análise detalhada de todos os setores da escola proporciona uma visão ampla das suas deficiências, permitindo, assim, que sejam identificadas as dificuldades que foram ou não superadas e possibilitando que a gestão pedagógica proponha novas alternativas para que a escola elimine esses desafios, supere os obstáculos e continue crescendo.

Neste sentido, relatórios gerenciais podem servir de base para esse diagnóstico, já que eles apresentam informações concretas a respeito da evolução das atividades.

É imprescindível compreender, por exemplo, quais foram as disciplinas nas quais a maior parte dos estudantes teve dificuldade. Dessa forma, a escola poderá intervir pedagogicamente e melhorar esse cenário.

Para colocar esta intervenção em prática, a escola pode:

  • realizar simulados;
  • oferecer aulas de reforço;
  • ajustar o formato das avaliações;
  • buscar auxílio de especialistas da área educacional.
  • Em outra situação, imagine que a escola constatou um aumento inexplicável na conta de água. Isso significa que a água está sendo desperdiçada, elevando os custos da empresa e causando prejuízos explícitos ao meio ambiente.

Portanto, pode ser um bom momento para implantar um programa que incentive os funcionários e os alunos a usarem a água de forma consciente na escola e em casa.

Essas informações evidenciam que a análise de relatórios e dados são uma maneira interessante de não só melhorar o desempenho dos alunos e da instituição, como também de envolver toda a comunidade escolar.

Todavia, as respostas não estão apenas nos relatórios. É preciso também analisar as ocorrências, como os casos de bullying e de agressões. Assim, será possível determinar quais medidas devem ser empregadas para conscientizar o alunado e demonstrar que a escola deve ser um ambiente seguro.

Implemente novas tecnologias

Outro ponto importante para um planejamento escolar eficiente é a implementação de novas tecnologias criadas para facilitar a execução das tarefas mais burocráticas, simplificar a mensuração de dados e otimizar os processos educacionais, como a correção de provas.

Vale lembrar que o mundo é movido pela tecnologia e que a sua utilização já não pode mais ser ignorada. Sob esta perspectiva, as escolas precisam se manter atualizadas tecnologicamente se querem ser referência em ensino, e formar estudantes com excelência.

Diante disso, é interessante que o gestor comece a considerar o uso de um software de gestão escolar. Dessa forma, ele terá a certeza de que está oferecendo o melhor para os educandos, terá mais tempo para se dedicar às atividades que fazem parte do escopo do seu negócio e que envolvem oferecer uma educação de qualidade.

Contudo, é importante que as mudanças relacionadas a inclusão de um novo software de gestão escolar sejam bem elaboradas para que a adaptação ocorra da melhor forma possível.

Desse modo, o gestor não deve dispensar algumas semanas de treinamento para que todos se acostumem com as novidades e aprendam a usá-las para o bom cumprimento de metas da escola.

eBook Gratuito

Organize um planejamento escolar eficiente

Depois de reunir a comunidade escolar, fazer as análises e prever as melhorias necessárias, é hora de anotar tudo o que foi pensado. Um planejamento escolar eficiente deve ter todas as ideias, os prazos, as metas e os responsáveis organizados para que todos compreendam as suas funções no ambiente educacional.

Para fazer isso de forma eficaz, o gestor deverá começar o seu planejamento elencando todos os itens que compõem o seu plano, como nos exemplos abaixo:

  1. Calendário escolar

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional afirma que todas as instituições de ensino são obrigadas a cumprir, no mínimo, 800 horas e 200 dias letivos. Portanto, é fundamental para o planejamento escolar saber quantos dias o ano letivo terá e quais serão as datas de feriados e de recessos.

  1. Currículo escolar

Com as mudanças curriculares apontadas pela nova legislação em 2016, muitos gestores escolares ainda ficam confusos quanto às adequações necessárias. Por isso, é preciso planejar o currículo escolar antecipadamente e definir quais serão os conteúdos oferecidos ao longo do ano.

  1. Quadro de horários

O currículo escolar também ajuda a determinar o quadro de horários, já que cada disciplina tem uma carga horária mínima obrigatória. A partir disso, é possível organizar com os professores quais serão os períodos de cada atividade, facilitando a implementação do novo quadro.

  1. Métodos de ensino e avaliação

Como os alunos serão avaliados? Está na hora de mudar a forma como os professores ensinam? Esses questionamentos devem ser feitos a partir das análises que falamos anteriormente. Entender o sistema de ensino que está rendendo bons resultados na escola concorrente, por exemplo, pode ser um começo para oferecer a melhor educação aos discentes e se destacar no mercado.  

  1. Programas e projetos

Descreva quais serão os programas e os projetos oferecidos pela escola neste ano. Seja um programa de aulas extras, uma feira de profissões, o incentivo para uso consciente da água ou atividades extraclasse que auxiliem no aprendizado dos alunos.

Transforme o planejamento em metas realizáveis

Para que o plano organizado antes de um novo período letivo seja realmente praticável, é essencial que a instituição crie metas e objetivos suscetíveis de serem feitos pelos educadores.

Para isso, o planejamento deve transformar os projetos da organização em metas que sejam:

objetivas, no sentido de serem ideias claras e concretas;

mensuráveis, de modo que seja possível analisar se a meta foi cumprida ou não;

datadas, ou seja, que tenham um prazo pré-determinado para a sua execução.

Neste contexto, imagine que a instituição tenha como objetivo o bom desempenho de seus alunos no vestibular. As seguintes metas poderiam ser incluídas em seu planejamento:

  • “Alcançar a média geral acima de 700 pontos no ENEM 2018.”
  • “Conquistar a aprovação de 80% dos alunos no vestibular/SISU.”

É importante ressaltar que essas metas de longo prazo têm de vir acompanhadas de submetas que devem ser cumpridas em curto prazo. Isso ocorre, pois a escola poderá averiguar se está perto de alcançar ou não a sua meta principal.

Para utilizar o exemplo do vestibular, proposto neste tópico, a instituição poderia estabelecer como submeta os simulados — semanais, mensais ou bimestrais — com o intuito de acompanhar o desempenho dos alunos e, naturalmente, identificar as possíveis deficiências existentes na aprendizagem deles.

Faça reuniões e revise o planejamento escolar regularmente

Por último, nossa indicação é que o gestor faça reuniões para receber um feedback quanto ao efeito do planejamento na escola.

Nesses encontros — que podem ser bimestrais ou trimestrais — professores, coordenadores, representantes de alunos e dos funcionários poderão explicar como está o desenvolvimento das metas traçadas no início do ano letivo.

Afinal, é comum que a instituição de ensino enfrente obstáculos e imprevistos durante o cumprimento do seu plano, tornando essencial a revisão do planejamento.

Portanto, de acordo com esses encontros, o gestor poderá mudar a sua estratégia ou, até mesmo, alterar as prioridades da escola, eliminando e traçando novas metas, de acordo com o percurso da organização desde o seu planejamento inicial.

Assim, com a revisão do planejamento escolar, a gestão se manterá a par das demandas e das necessidades da organização, poderá monitorar os obstáculos enfrentados dentro e fora da sala de aula, e atentar-se para que as ideias e intenções elaboradas inicialmente estejam sempre conforme a realidade mais imediata dos estudantes e da escola.

Podemos concluir que não existe uma fórmula mágica para o desenvolvimento de um planejamento escolar eficiente. No entanto, se a sua organização aplicar os pontos elencados neste artigo, ela será capaz de atingir resultados muito mais significativos em cada um dos setores da instituição de ensino.

Agora que você entendeu como montar um planejamento escolar eficiente para a sua escola, curta a nossa página no Facebook e fique por dentro de outras dicas que vão te ajudar a realizar uma boa gestão.

Tags:, , , , , ,

Trackback do seu site.

ADICIONE SEU EMAIL
Junte-se ao grupo de pessoas que recebem nossos emails.

Share This