Aprenda como montar um plano de cargos e salários na sua escola

Você sabe como montar um plano de cargos e salários em sua instituição de ensino? Uma grande preocupação das pessoas atualmente diz respeito à carreira profissional. Apesar da crise que assola o mercado de trabalho e das estatísticas — muitas vezes — nada animadoras no que diz respeito a empregos, para realmente reter talentos, é importante oferecer um diferencial, algo que se assemelhe a um plano de carreira.

Trabalhar em uma instituição sem perspectivas de crescimento, seja ele profissional ou financeiro, leva o colaborador à desmotivação. O resultado é um desempenho cada dia mais insatisfatório, que pode culminar com um desligamento voluntário.

Como sabemos que a alta rotatividade de funcionários e a desmotivação da equipe são prejudiciais à empresa, listamos abaixo algumas dicas para você, gestor, montar um plano de cargos e salários em sua escola e contar sempre com pessoal de qualidade em seu quadro de funcionários. Confira!

Faça a descrição dos cargos

A sua escola conta com todos os cargos necessários para uma boa gestão e harmonia no funcionamento? Pode ser que ainda faltem algumas funções que ajudariam nessa boa fluência da rotina de trabalho. Se for o caso, elas podem ser incluídas, mas também será necessário fazer uma descrição minuciosa de cada uma delas: professor, coordenador, atendente… deve haver lugar para todos. 

Qual o perfil necessário para ocupar os cargos? Qual o objetivo e a importância individual dos profissionais dentro da sua empresa? Responder a essas questões ajudará a chegar em uma conclusão sobre a adequação de quem já ocupa esses cargos aos pré-requisitos exigidos.

O próximo passo pode ser uma reforma no atual quadro de funcionários, com um remanejamento de funções. Além disso, será possível manter maior assertividade na hora de fazer novas contratações.

Estabeleça as competências dos seus ocupantes

Cada cargo criado pressupõe determinadas atribuições e função no que diz respeito ao dia a dia da empresa. Nas entrevistas e testes para as novas contratações, essa questão precisa ser levada em conta, de modo a avaliar as vertentes que realmente são necessárias para ocupação do cargo.

Um grande erro em muitas gestões é estabelecer um alto número de cargos e não saber exatamente quais funções delegar a eles. Se sentir que existem posições que podem ser absorvidas por outras, faça-o, mas caso perceba que alguns profissionais ficam sobrecarregados, crie outras novas.

Lembre-se de que cada escola tem o seu próprio ritmo e particularidades. Dessa forma, as atribuições de cada cargo devem ser condizentes com suas reais necessidades, e não uma mera cópia do que se vê no mercado.

Faça uma pesquisa salarial de mercado

A definição dos salários ainda gera muitas dúvidas nos gestores. Por isso, é primordial levar em conta a média que o mercado tem pago para trabalhadores de cargos similares. Oferecer um valor muito abaixo pode simbolizar uma desvalorização do trabalho dos seus profissionais, enquanto uma média muito acima também não é a maneira mais justa de fazer gestão.

Por incrível que pareça, ambas as questões podem desmotivar o colaborador. Embora teoricamente não haja nenhuma legislação que exige o pagamento de uma remuneração compatível com outras escolas da sua região, fazer isso demonstra respeito e reconhecimento em relação ao trabalho dos seus colaboradores.

Além disso, você pode pensar em benefícios por desempenho para motivá-los ainda mais a oferecer sempre o seu melhor.

Construa um organograma

Quem é subordinado a quem em sua instituição de ensino? Com quem devem ser tratadas as questões pessoais e as relacionadas ao trabalho? Na hora de criar um plano de cargos e salários, essa questão precisa estar bem clara para que seja possível construir um organograma — uma espécie de mapa de todos as funções e remunerações existentes em sua instituição.

Tal ferramenta funciona paralelamente a um plano de carreira, que contém todos os requisitos necessários para uma possível elevação de cargo e salário. Desse modo, o colaborador sente que seus esforços valem a pena e tem consciência que evoluir dentro da empresa.

Elabore um plano de ação

Quais são as iniciativas e resultados necessários para passar para o próximo cargo? Quais são os pré-requisitos indispensáveis ao contratar um novo colaborador? Todas essas questões precisam constar no plano, que deve ser disposto em um documento, mantido em arquivo digital e impresso e contar com a segurança de sigilo e privacidade de dados.

Quanto mais detalhado for, melhor. Além disso, é importante saber qual cargo se encontra diretamente acima de cada função, pois isso ajuda na hora de levar colaboradores a uma transição de posições dentro da escola ou mesmo quando for necessário avaliar critérios para possíveis reajustes salariais.

Regras devem ser criadas para isso. Elas precisam tomar por base o tempo mínimo necessário na função para uma possível promoção e os resultados exigidos para que essa transição se torne realmente possível.

Divulgue o seu plano de cargos e salários

Apesar da questão da segurança de dados, seus colaboradores precisam saber da existência desse documento e, mais que isso, ter acesso a ele. Caso contrário, não haveria sentido em estabelecer metas e pré-requisitos, já que ninguém saberia ao certo como cumpri-los.

A conduta com os novos professores e colaboradores contratados não deve ser diferente. Assim que aprovados na fase classificatória, os candidatos precisam conhecer o plano para tirar possíveis dúvidas e entender melhor de que forma funciona a política de trabalho na instituição na qual ingressarão.

Trata-se de um documento importante, que não deve ser resumido a uma breve menção durante o processo seletivo. Dar a ele a devida importância também demonstra profissionalismo e seriedade para quem chegou recentemente na empresa.

Percebeu como montar um plano de cargos e salários está longe de ser uma missão impossível? Embora o processo não seja um “bicho de sete cabeças”, é importante basear-se em pesquisas e dados concretos, para que ele realmente seja condizente com o mercado no qual a sua instituição de ensino está inserida.

E aí, gostou deste post? Então, aproveite para saber também as melhores formas de fazer a recepção de novos professores em sua instituição de ensino!

Trackback do seu site.

Deixe um comentário

ADICIONE SEU EMAIL
Junte-se ao grupo de pessoas que recebem nossos emails.

Share This