evasão escolar

Conheça agora as principais causas da evasão escolar

➡ Tempo de leitura: 6 minutos

Para que a escola possa “fazer a sua parte”, de modo a combater esse mal, é necessário, antes de mais nada, entender as causas da evasão escolar. 

Com o passar do tempo, o abandono do estudo pode resultar em um empobrecimento da população em termos de cultura e conhecimento. 

A cada ano, um grande número de alunos menores de idade abandonam os estudos. Segundo o Censo Escolar de 2018, divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), as matrículas na Educação Básica caíram 1,3 milhão em 4 anos.

Uma saída encontrada por muitas instituições são os relatórios de gestão escolar. A partir deles, é possível utilizar a tecnologia para mensurar o desempenho de cada aluno individualmente. Também se trata de uma maneira eficaz de identificar indícios que costumam aparecer antes que a evasão seja consumada de fato.

Saiba mais:

Como estruturar a retenção de alunos na sua escola em 5 passos!

Como identificar gargalos nos processos da sua escola?

11 Dicas certeiras para evitar a evasão escolar

 

Para você entender melhor o mecanismo da evasão escolar, listamos abaixo os principais motivos que costumam desencadeá-la e dicas para resolver esse problema. Confira!

Pobreza e situação econômica desfavorável

Muitas vezes, a criança e o adolescente não têm condições mínimas de alimentação e vestuário para frequentar a escola com dignidade. Também não têm lugar para realizar os deveres de casa, internet para pesquisa, livros, cadernos e outros materiais. Às vezes, não há nem energia elétrica em sua residência.

Existem escolas públicas e programas que auxiliam essas pessoas. O Bolsa Família, por exemplo, exige que as crianças estejam matriculadas para que a família tenha direito ao benefício, mas nem sempre isso é o suficiente para mantê-las na instituição de ensino. Isso leva ao próximo e maior motivo para a evasão escolar.

Necessidade de ir cedo para o mercado de trabalho

Como dissemos, muitas famílias vivem em condições financeiras que não são favoráveis, o que dificulta manter os filhos na escola. Alguns jovens acabam abandonando os estudos, já que, ao chegarem à adolescência, teoricamente já estão aptos a ingressar no mercado de trabalho e podem contribuir para o sustento familiar.

No entanto, nem sempre é possível conciliar trabalho e estudos: às vezes há incompatibilidades de horários, custos e falta de tempo, fatores que prejudicam a permanência do aluno em instituições de ensino. Isso desencadeia uma situação contraditória no futuro: o aluno abandona a escola para poder trabalhar. Anos mais tarde, quando deseja cargos e salários melhores, não os consegue, por não ter concluído os estudos.

É isso que leva muitas pessoas adultas de volta às instituições de ensino. Entretanto, esse fator causa discrepância no ambiente escolar, que precisa desenvolver mecanismos, horários e grupos etários diferenciados para atender a esse público. É por isso que se trata de uma realidade que preocupa diretores e educadores.

Distância da escola

Em comunidades muito pobres, a escola mas próxima pode ficar a quilômetros de distância. Nas zonas rurais, é necessário que a prefeitura coloque à disposição das crianças um ônibus para o deslocamento de casa até a instituição.

Entretanto, nem sempre isso ocorre, e o longo caminho a percorrer acaba desanimando principalmente os jovens. Há casos no Norte do país, em que é preciso viajar horas em um barco para ter acesso à escola, o que exige um grande esforço das famílias.

Pouco investimento em tecnologia

Alguns alunos abandonam a escola por mero desinteresse. É claro que, muitas vezes, isso ocorre devido a fatores internos do próprio aluno, mas há também casos nos quais a má qualidade do ensino influencia essa questão. Hoje em dia, vivemos em uma sociedade altamente informatizada: a maioria dos estudantes está acostumada a conviver com a tecnologia fora da escola.

Inseri-la também no ambiente de ensino certamente fará com que os alunos se sintam mais motivados a prosseguir em sua vida escolar. Além de contribuírem para que o conteúdo ministrado em sala de aula se torne mais atraente, as tecnologias ainda permitem um acompanhamento do aluno, de modo a identificar possíveis dificuldades e fatores que levam ao risco de evasão escolar.

Falta de acompanhamento contínuo

A chamada é importante para avaliar a frequência dos alunos. Além do mais, ir à escola é fundamental para compreender a matéria e obter bom desempenho. Se essa questão for negligenciada, pode ser que o estudante se desmotive e abandone os estudos. Além disso, a chamada pode servir para promover uma aproximação entre aluno e professor.

Trata-se de um momento em que o educador tem a oportunidade de conhecer o aluno pelo nome e de interagir diretamente com ele. Além disso, a realização das tarefas de casa e a entrega dos trabalhos propostos servem como uma espécie de termômetro.

Um aluno que falta demais e deixa diversas atividades para trás tem grande propensão à evasão escolar. Caso ele seja menor de idade, é importante comunicar os pais sobre tal conduta, para que eles possam trabalhar em conjunto com a escola, de maneira a buscar a melhor solução.

Gravidez na adolescência e envolvimento com drogas

A maternidade precoce é responsável pela saída de várias jovens do ambiente escolar: elas abandonam os estudos pela necessidade de dedicação exclusiva aos filhos. Além disso, um outro problema que ronda a adolescência é o uso de drogas e o envolvimento com atividades ilegais.

Há alunos que, por terem adentrado no mundo das drogas ou mesmo do crime, acabam por deixar os estudos. Por isso, é importante que as escolas adotem programas de conscientização sobre métodos contraceptivos e drogas. Além disso, há indícios no comportamento desses jovens que denotam que há algo errado. Essa questão deve ser trabalhada em conjunto pela escola e pela família.

Dificuldades de aprendizagem

Há alunos que passam por reprovações consecutivas devido a transtornos e déficit de aprendizagem. Quando não recebem a devida atenção, esses problemas podem levar à desmotivação do estudante, que acaba por abandonar os estudos, acreditando não ser capaz de aprender como os demais.

Não precisamos nem dizer que tal situação vai além dos muros escolares. Estes problemas provocam efeitos psicológicos negativos que se estendem pela vida familiar e social. Entretanto, a observação do aluno no dia a dia escolar permite a identificação de fatores que sugerem alguma dificuldade. É importante entender que cada estudante aprende no seu próprio ritmo e que alguns demandam maior atenção.

A permanência do aluno na escola

Um dos principais objetivos das escolas deve ser promover o ensino igualitário a todos os seus alunos e evitar, ao máximo, a evasão. Portanto é necessário que, ao entender as causas do problema, a instituição passe a incidir sobre ele. Com isso é possível reduzir a evasão e resgatar os estudantes que deixaram os estudos. Veja agora algumas formas de fazer isso:

Entender o que está afastando os estudantes da escola

Tendo em mente todas as razões que afastam os alunos da escola, os gestores devem ficar atentos aos sinais. Com isto é possível perceber quando um estudante está prestes a abandonar os estudos, por exemplo.

Casos isolados podem ser resolvidos pontualmente, mas quando há uma debandada em massa, é preciso entender o que está causando isso. Problemas de infraestrutura, proposta pedagógica fraca ou professores muito rígidos podem ser algumas das causas.

Procure ser crítico e entender se a gestão também está influenciando esse aspecto. Não tenha medo de inovar. Se preciso, troque o corpo docente ou as metodologias, crie oficinas pedagógicas e, principalmente, ouça a comunidade escolar.

Ter proximidade com as famílias

É preciso atuar em duas frentes: no ambiente escolar e no familiar. Um olhar sobre o que está gerando insatisfação é o princípio para a abertura de diálogo. Muitas vezes, a própria escola pode contornar ou resolver a situação que gerou o problema.

Por exemplo, se o aluno tem dificuldades de aprendizagem, é possível fazer atividades específicas que o auxiliem. Se o problema é financeiro, a escola pode avaliar se e possível conceder uma bolsa de estudos integral ou parcial. O importante é demonstrar interesse em ajudar.

Investir em infraestrutura

Com uma escola bem estruturada é mais fácil manter o interesse dos alunos. Fazem parte desta lista salas e classes em boas condições, banheiros funcionando e limpos, biblioteca, laboratório de informática entre outros.

É claro que nem sempre isso é possível. Isto porque escolas públicas dependem de verbas do governo e as particulares também enfrentam crises financeiras que atrapalham os investimentos. Por isso, é importante que a gestão haja com criatividade. Outro ponto importante é sempre contar com o apoio da comunidade escolar para buscar os recursos necessários.

Empregar a tecnologia

O investimento em tecnologia também é um fator importante para diagnosticar o problema e encontrar as melhores soluções. Nesse cenário, podem ser utilizados os relatórios de gestão, que são ferramentas tecnológicas que permitem uma visão mais ampla das adversidades.

A implantação de softwares específicos para escolas permite que a frequência, as notas e o desempenho diário do aluno sejam acompanhados por professores e diretores. Além disso, a facilidade para visualizar informações na tela e a vantagem de poder acessá-las a partir de qualquer máquina permite um acompanhamento mais próximo e estruturado.

Além disso, os dados podem ser integrados, de modo a fornecer relatórios que permitam uma visão mais generalizada da situação. Um aluno que apresenta baixa frequência, notas vermelhas e desinteresse pela realização de atividades complementares certamente demanda atenção! Trata-se de um forte candidato à evasão escolar.

Depender somente da memória (ou de planilhas simples) para associar esses fatores não é o suficiente. Já que vivemos em um período tecnológico, por que não se valer das ferramentas que temos para diminuir as taxas de evasão?

Como podemos ver, a evasão escolar está associada a diversos fatores que vão desde o âmbito escolar até questões sociais e familiares. De qualquer forma, a utilização da tecnologia permite mensurar e trabalhar de modo a combater esses fatores.

Agora que você já conhece as causas da evasão escolar que tal aderir a um programa preventivo? Entre em contato conosco e conheça nossas ferramentas.

 

evasão escolar