Avaliação de alunos na Educação Infantil

Avaliação de alunos na Educação Infantil

A avaliação de crianças na Educação Infantil é uma das tarefas mais importantes e desafiadoras do trabalho docente, pois, como as crianças estão no inicio da sua vida social e educacional, as dificuldades, os erros e os avanços não podem ser apontados de maneira superficial e/ou incompleta. Isso sem contar o interesse dos pais em acompanhar os filhos no início de sua vida escolar.

Uma criança tem sempre que ser bem avaliada, para que problemas não possam atrapalha-la mais tarde. Mais como avaliar crianças que estão no início de sua vida estudantil? Alunos os quais suas principais atividades não podem ser avaliadas de forma comparativa ou quantitativa, mais sim em habilidades e dificuldades?

Observando as mais diferentes necessidades dessa classe de alunos, as escolas vêm tentando aprimorar cada vez mais a forma de avaliação das crianças. A maioria utiliza relatórios específicos que contam em detalhes como se deu o desenvolvimento e o aprendizado do aluno durante determinado período. Esses relatórios costumam ser batizados como “Ficha Descritiva” ou “Análise Descritiva”, e geralmente contém informações comportamentais e o parecer do professor sobre as habilidades e personalidade do aluno. A forma de observar os alunos e fazer os registros também pode variar. Mas a opinião dos educadores sobre os resultados desse tipo de avaliação é sempre positiva.

Há detalhes importantes que devem ser observados sobre essa forma de avaliação. Ela não deve ser realizada como forma de medir conhecimentos, mas como ponto de partida para novas descobertas, servirá como diagnóstico das necessidades, dificuldades e personalidade dos alunos, ao mesmo tempo em que será usada pelo educador como forma de transformar sua prática, adaptando-a de acordo com as necessidades de cada aluno.

Leia também  Matrícula online: um diferencial no atendimento da sua escola

A avaliação descritiva deve ser feita com base no acompanhamento, observação e registro do educador em relação ao desenvolvimento e progressos de seus alunos nos mais diferentes aspectos cognitivos e sócio afetivos. Não deve possuir caráter rotulador ou quantitativo, deve sim, servir como fonte de reflexão e análise, para que os educadores possam perceber até onde chegaram e o que ainda precisa buscar.

Para o aluno a avaliação é apenas um modo de conhecê-lo melhor, suas habilidades e suas deficiências, para o educador ela deve ser uma forma de percepção de sua prática e deve apontar modos de aprimorá-la. Ao avaliar não deve prender-se nesta ou naquela área, mas em todas as competências dos alunos.

Outro ponto importante nesta forma de avaliação é que quando bem feita e arquivada, a escola pode criar um mapa da evolução social, mental e comportamental do aluno ao longo do período que ele frequentou a escola.

Na avaliação de uma criança, deve constar a trajetória de suas descobertas e aprendizados, seus crescimentos e suas dificuldades, sempre referindo-se a como a criança foi no passado e como está no presente momento. JAMAIS, NUNCA, EM MOMENTO ALGUM, o aluno pode ter suas habilidades comparadas ou julgadas, cada criança serve de parâmetro para si mesma e jamais pode ser comparada com outra, mesmo que da mesma faixa etária.

Para saber mais sobre o assunto e ver dicas de aspectos e detalhes sobre a avaliação na educação infantil, baixe o Ebook  gratuitamente.

Deixe um comentário

ADICIONE SEU EMAIL
Junte-se ao grupo de pessoas que recebem nossos emails.

Share This