Como superar o desafio de lidar com professores desmotivados?

Conhecimento profundo das disciplinas que ministram; domínio de sala de aula e dos métodos de ensino; utilização de recursos pedagógicos apropriados ao estágio de desenvolvimento dos estudantes. Essas são algumas das principais características de um corpo docente de qualidade.

No entanto, um quadro composto por professores desmotivados pode anular completamente o efeito de competências tão notáveis quanto essas. Como consequência, os resultados dos estudantes e da escola ficam prejudicados.

Mas como superar este desafio? Como lidar com professores desmotivados e transformá-los em profissionais engajados com o processo educacional e o desempenho dos estudantes? O que fazer para reavivar o entusiasmo deste grupo e transformá-lo em referência no ensino de sua região?

Se sua escola lida com uma situação parecida, continue a leitura deste post. Vamos mostrar como é possível fazer com que os docentes alcancem uma performance notável!

8 práticas infalíveis de lidar com professores desmotivados

1. Forneça a estrutura adequada

Os alunos do século XXI são diferentes dos de gerações passadas. Eles já não têm uma postura passiva e são extremamente tecnológicos. Para despertar seu interesse, é fundamental utilizar recursos inovadores e tornar a aprendizagem dinâmica.

Por isso, é importante que o professor conte com ferramentas adequadas. Ele deve ter acesso a recursos lúdicos e tecnológicos que tornem suas aulas mais interessantes.

Alunos menores realmente precisam de jogos e materiais concretos para entender determinados conceitos. Já os equipamentos como lousas digitais, projetores, computadores e alto-falantes são fundamentais para estudantes de todas as faixas etárias.

Com eles, o professor consegue ensinar de forma prática, inovadora e criativa. Isso melhora o desempenho dos alunos e reduz os problemas com a indisciplina, o que contribui para manter o grupo motivado.

2. Tenha um sistema disciplinar eficiente

Grande parte das frustrações dos professores — e que levam o grupo ao desânimo — está relacionada à dificuldade de lidar com a disciplina em sala de aula. Os atritos constantes produzem níveis de estresse elevados e reduzem a motivação.

Quando a escola tem regras claras e suas aplicações ocorrem de forma justa e previsível, o problema é solucionado. O professor precisa ver que a direção é sua aliada e responsável por tomar as providências necessárias para ajudá-lo a manter a sala tranquila e produtiva.

3. Promova a educação contínua

O desenvolvimento da tecnologia nas últimas décadas fez com que a sociedade se transformasse radicalmente. A forma de muitos profissionais atuarem mudou, porém os educadores nem sempre acompanharam esse ritmo.

Por isso, muitos deles passaram a se sentir obsoletos e desvalorizados diante de tantas mudanças. Para reverter esse quadro, a escola pode incentivá-los a se atualizarem e a ficarem antenados com o que há de novo em suas áreas de atuação.

Isso começa na própria instituição, onde as reuniões pedagógicas podem se transformar em espaços para a construção do conhecimento. Devem ser abordados temas atuais e relevantes para o desempenho dos docentes.

Além disso, a escola pode incentivar a capacitação profissional permanente. Em seu pacote de benefícios, é possível incluir auxílios para a realização de cursos de extensão ou pós-graduação, além de facilitar a participação em palestras e eventos.

4. Ofereça salários e benefícios satisfatórios

O professor deve receber uma remuneração satisfatória, que esteja de acordo com sua profissão. Tal quantia precisa ser compatível com suas necessidades, com os valores praticados pelo mercado em sua região e com o nível de performance que você quer alcançar.

Se o seu objetivo é tornar-se uma referência na área, é fundamental oferecer um salário capaz de atrair e manter os melhores professores. Essa é uma das principais formas de evitar perdê-los diante de propostas da concorrência.

5. Crie uma percepção de pertinência

Embora façam parte de um grupo, os professores realizam um trabalho muito solitário. No dia a dia, cada um deles vai para a “frente de batalha” completamente sozinho e encara toda uma jornada nesta condição.

Se os gestores se mostrarem parceiros desses profissionais, atuando como uma rede de apoio, eles se sentirão parte de algo maior. Crie situações em que os docentes possam desenvolver laços entre si, amenizando os efeitos do isolamento e reduzindo o estresse.

6. Acompanhe o trabalho do professor

Também é importante realizar o acompanhamento desses profissionais. A equipe de gestão pedagógica precisa sentar-se com eles individualmente, ajudando-os a solucionar seus problemas e mostrando alternativas para um trabalho mais eficaz.

É importante prover um feedback construtivo, que destaque as qualidades do profissional e, em conjunto, identifique os aspectos que podem ser aperfeiçoados. Assim, eles se sentirão apoiados e motivados para o alcance de uma performance melhor.

7. Reduza a burocracia

O principal foco do professor deve ser a elaboração de aulas envolventes, dinâmicas e criativas. Elas despertam o interesse do aluno e promovem uma aprendizagem duradoura e significativa — o que é extremamente gratificante.

Porém, muitos docentes não têm o tempo necessário para essa atividade de criação porque estão imersos em burocracia. Preenchimento de diários, correção de provas ou simulados e elaboração de relatórios ou documentos são alguns dos exemplos.

A longo prazo, essa situação mina a motivação do professor. Ele sente que grande parte de sua energia é consumida em tarefas que, embora necessárias do ponto de vista legal, não têm um grande impacto na aprendizagem e na vida dos alunos.

Hoje em dia, já existem sistemas que facilitam muito esta rotina. Eles automatizam a correção de provas, o controle de presença dos estudantes e a elaboração dos diários e documentos.

Esta é uma maneira de manter o professor focado no ensino de qualidade, melhorar os resultados obtidos em sala de aula e, consequentemente, aumentar a motivação dos profissionais.

8. Pratique uma gestão transparente

É muito mais estimulante trabalhar em um ambiente com uma gestão participativa, ética e transparente. Quando a administração pratica uma liderança humanizada, que promove a igualdade e a justiça, o bom clima organizacional é favorecido.

Portanto, estimule o espírito de equipe e dê aos professores o direito de opinarem e participarem das decisões. Garanta a existência de um código de conduta e que as resoluções sejam imparciais, sem o favorecimento indevido de uns em detrimento de outros.

Desta forma, os docentes se sentirão parte de um projeto relevante — e não mera engrenagem de uma empresa. Esse tipo de liderança promove o engajamento e elimina grande parte dos motivos para a falta de motivação dos profissionais.

Entendeu como é possível superar o desafio de lidar com professores desmotivados? Gostou de nossas dicas? Então, que tal compartilhar este post nas redes sociais, marcar seus contatos e pedir outras sugestões? Queremos ver as boas ideias que vão surgir!

Tags:, ,

Trackback do seu site.

ADICIONE SEU EMAIL
Junte-se ao grupo de pessoas que recebem nossos emails.

Share This