O valor da educação financeira na escola

O valor da educação financeira na escola

Você já deve ter ouvido o ditado que diz que “é de pequeno que se torce o pepino”. Pois é. Ele se aplica muito bem se o assunto é educação financeira para crianças. Afinal, as primeiras lições sobre como utilizar bem o dinheiro devem começar na infância. Capacitar uma criança para que ela faça melhor utilização do dinheiro não é uma tarefa das mais fáceis, principalmente no mundo de hoje, quando os pequenos são bombardeados por propagandas de produtos que lhe interessam. Eles são um alvo muito fácil e, não raro, caem nas garras do consumismo rapidamente.

É de extrema importância trabalhar esse tipo de tema nas escolas. A disciplina de educação financeira não está no currículo obrigatório mas muitas e instituições já optam por tê-la na grade. Mais do que lidar com o dinheiro, as crianças aprendem a calcular gastos dentro em um orçamento, a ter uma reserva financeira e a não acumular dívidas. Consumir conscientemente, preocupando-se também com a sustentabilidade é o objetivo.

Professor, você está preparado para a educação inclusiva?

Professor, você está preparado para a educação inclusiva?

A Educação Inclusiva chegou para ficar. Veio para substituir, sem cerimônia, a escola tradicional, em que todos os alunos tinham que estar adaptados ao método pedagógico tradicional e eram avaliados sob o mesmo ângulo. Isso não existe mais. Aqueles que não se “enquadram” à turma já não vão para a classe especial ou para a escola especial. Esses são vistos de uma nova forma. Hoje a deficiência de uma criança é considerada uma das muitas características que os alunos podem ter, totalmente despida de rótulos.

O papel do professor nos tempos de internet

O papel do professor nos tempos de internet

Há 15 anos a internet ainda não era amplamente acessível. Muitos, só conseguiam usá-la discada e depois da meia noite quando a cobrança de pulso era mais baixa. Parece que foi ontem, mas tudo se modificou muito rapidamente. Hoje, por causa do 3G, estando em qualquer lugar que tenha sinal é possível consultar sites pelo celular. Com isso, a internet se popularizou e modificou a relação entre professores e alunos no modo de transmitir e consumir informação. Por isso, é importante saber como usar isso a favor do ensino e qual o papel do professor nos tempos de internet.

Para o aluno: caderno ou notebook?

Para o aluno: caderno ou notebook?

Com o desenvolvimento da tecnologia e com a facilidade de acesso a notebooks, muitos alunos preferem usar essa ferramenta para fazer anotações em vez do bom e antigo caderno. Ele é prático, consegue arquivar as mais diferentes aulas e anotações de maneira organizada e ainda permite que os alunos fiquem longe do peso dos cadernos. Mas será que é a melhor solução para a sala de aula e para a aprendizagem? Pesquisas apontam que não. Entre caderno ou notebook, o caderno ficou em primeiro lugar.

Como o trabalho em grupo impacta na aprendizagem em sala de aula

Como o trabalho em grupo impacta na aprendizagem em sala de aula

Além de transmitir o conhecimento, é papel do docente colaborar para que o aluno saia sabendo conviver em sociedade e enfrentar as necessidades requeridas pelo mercado de trabalho, como por exemplo, o trabalho em grupo e a divisão de tarefas em equipe. Para isso, além de saber ouvir e deixar o aluno se expressar e interagir na sala de aula, é altamente recomendável incentivar e permitir o trabalho em grupo.

ADICIONE SEU EMAIL
Junte-se ao grupo de pessoas que recebem nossos emails.