Planejamento Escolar: que tipo você adota?

Planejamento Escolar: que tipo você adota?

Planejamento, na prática, é antecipar uma prática, ou seja, é prever e programar as possíveis ações para chegar a um resultado desejado, possibilitando à equipe gestora um caminho para a tomada de decisões.

Mas, e se não tiver planejamento? Aí as coisas ficam mais difíceis. Sem o planejamento adequado, como se diz por aí, o barco vai ao sabor do vento. E, em uma unidade escolar, isso não é nada bom. É necessário não trabalhar na base do improviso ou da reprodução de planos anteriores (mesmo que tenham dado certo) e sem avaliar o resultado do trabalho.

Dessa forma, trazemos duas possibilidades para a administração, com algumas diferenças e possibilidades: o planejamento participativo e o planejamento estratégico. Cabe ao gestor analisar o cenário e escolher a melhor alternativa para a unidade escolar e para os alunos ali inseridos. Conheça, então, dois modelos de planejamento escolar:

Planejamento participativo

O planejamento participativo é a melhor tradução da democracia na escola. Nesse modelo, todos os envolvidos – professores, funcionários, diretores e alunos – participam das decisões. Ao grupo também cabe a responsabilidade de estabelecer prioridades. A participação de grupos de diferentes segmentos da comunidade escolar no processo é um fator relevante para que ele dê certo, pois agrega compromisso e corresponsabilidade na consecução de metas.

O objetivo desse tipo de gestão é buscar atender às demandas sociais da comunidade na qual a escola está incluída, já que todo processo educativo está diretamente ligado à contextualização social.

Mas não é em qualquer escola que o planejamento participativo funciona. Há um requisito essencial para que o modelo funcione de forma eficaz: todos precisam estar informados sobre aquela realidade escolar. Só dessa forma é possível diagnosticar os problemas, estudá-los e apontar soluções.

Leia também  A comunicação escolar no contexto da crise econômica

Para que o planejamento participativo tenha uma base sólida, algumas informações são extremamente importantes e irão nortear o trabalho como um todo: é preciso saber mais sobre a comunidade, pesquisar sobre o local e ter informações da realidade que se apresenta e da que é pretendida em curto prazo.

A gestão participativa traz uma série de benefícios para a instituição, especialmente ao aprendizado, com foco em valores, tais como cidadania, organização e gestão. E, talvez, a maior vantagem seja a construção da cultura do planejamento coletiva, que intensifica práticas democráticas e fortalece a distribuição horizontal do poder de decisão.

Planejamento estratégico

No planejamento estratégico, o esquema é um pouco diferente. O poder de decisão é concentrado em uma só pessoa, normalmente o diretor da instituição. O modelo é baseado em métodos qualitativos e quantitativos.

Vamos ressaltar que essa abordagem foca em resultados futuros. Por isso, é importante primeiramente analisar os pontos fracos e fortes, as oportunidades oferecidas e as restrições apresentadas no ambiente. Indicadores e metas organizacionais medem a missão, visão do futuro e valores que dão o norte a essa realidade. Há análise do mercado (focando nos concorrentes), do panorama financeiro, da satisfação dos clientes e das percepções sobre a instituição, além de um estudo sobre diferenciais e política de investimento. Depois, você pode partir para as metas.

Temas importantes como gestões administrativa, financeira, pedagógica, de infraestrutura, de relacionamento com a comunidade e com os alunos e de resultados são verificados a partir da matriz SWOT – a sigla, em inglês, que representa: Strength (Força), Weakness (Fraqueza), Oportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças).

Normalmente o modelo estratégico costuma ser bastante popular em comunidades acadêmicas e empresariais. No entanto, pode ser adotado independente do tamanho da escola ou do seu tipo: pública ou privada.

Leia também  Você sabe o que é R.E.A.? Saiba dos seus benefícios dessa novidade para a educação

Qual é o melhor modelo de planejamento escolar?

Aí você deve estar se perguntando: qual é o melhor modelo de planejamento para a minha escola? Isso é uma questão que você vai ter que descobrir com base nas características da sua instituição e na forma como os gestores se relacionam com a comunidade. A realidade de cada escola deve ser planejada de acordo com as suas particularidades.

Novas formas de administrar são bem-vindas, mas é importante ter organização, seja qual for o tipo de planejamento adotado. A escola precisa de um cronograma e alinhamento de informações para que os bons resultados sejam alcançados.

Agora, pense, avalie e conte para a gente: como tem sido experiência de planejamento escolar na instituição de ensino em que você trabalha?

Deixe um comentário

ADICIONE SEU EMAIL
Junte-se ao grupo de pessoas que recebem nossos emails.

Share This