Avaliando o Professor

Avaliando o Professor

Avaliar:

A avaliação é um método que mede a eficiência e eficácia de uma determinada pessoa ou objeto. Tem sempre em vista o processo de melhoria contínua. No geral, quando falamos em avaliação, logo associamos à algo negativo, uma análise de imperfeições. Porém é através dessas análises que temos a chance de procurar melhorias no processo que estamos avaliando.

No que diz respeito a uma pessoa, nós podemos considerar que muitos de nós gostamos de avaliar, porém poucos são os que gostam de ser avaliados, nesta condição, normalmente o profissional reage de forma defensiva por medo de ter um impacto negativo em sua carreira profissional, ou perante a outras pessoas.

Conforme já sabemos, a avaliação acadêmica em uma instituição de ensino é muito importante, normalmente a escola tem em mãos duas técnicas para avaliar seus alunos, a avaliação qualitativa e quantitativa. Porém não só no ambiente acadêmico, mas em qualquer ambiente profissional existe uma necessidade imediata de estar sempre medindo a capacidade das pessoas e objetos,uma vez que com o resultado de cada medição é também criado a possibilidade de tomar uma decisão mais eficaz com relação aos resultados, seja ele satisfatório ou não.

Contudo, o processo avaliativo não apenas permite analisar de forma direta, mas também de forma indireta, um exemplo seria efetuar a avaliação em várias turmas e verificar em qual matéria os alunos estão com dificuldade, podendo tirar desse resultado uma grande deficiência em determinada disciplina mas também uma deficiência em algum professor.

Avaliação Escolar:

Seguindo esse raciocínio, podemos interpretar que existe a necessidade também da avaliação profissional nas escolas, nesse caso os professores. Porém esse tipo de avaliação sugere muito mais complexidade, uma vez que o nosso “Objeto de Avaliação” é um profissional que está sempre avaliando. Isso significa que não é possível e nem há coerência em medir a eficiência e eficácia de um professor com os mesmos métodos de avaliação utilizados para medir a capacidade de uma pessoa comum.

Leia também  Inovação e colaboração: o futuro da educação

Muitos professores interpretam esse tema como uma afronta, pois não faz sentido avaliar quem normalmente detêm a maior parte do conhecimento, porém tudo necessita de uma balança. Nós sempre trabalhamos com a hipótese do aluno não conseguir alcançar a meta na sala de aula, mas e se o aluno conseguir ultrapassar o teto dessa meta? o professor terá capacidade para dar continuidade à esse conhecimento dentro da sala de aula? É desse ponto que parte o porquê que as habilidades de um professor precisam ser avaliadas também. Concluindo a medição, se torna possível o equilíbrio da balança entre o professor e o aluno.

Tomada de Decisões:

Mas antes de tomar qualquer decisão referente aos resultados obtidos com a medição, e até mesmo antes de medir o “objeto de avaliação”, é preciso ter em mente o objetivo de tal medição, ou seja, o objetivo não é identificar e reparar apenas o que está ruim e sim melhorar a forma de ensino que a instituição utiliza, para que de fato tenhamos um resultado que nos dê um retorno positivo. Se está ruim precisamos efetuar melhorias, e se estiver bom é necessário melhorar ainda mais, pois além da balança, todos os profissionais andam em paralelo com o “processo evolutivo do conhecimento” e o corpo docente precisa estar apto para acompanhar essa evolução, uma vez que quem detêm o conhecimento e leciona o mesmo são os professores.

Comentários (1)

  • Maria de Fátima Moraes

    |

    Foi a primeira vez que parei para ler alguns conteúdos. Considerei os temas abordados interessantes e oportunos.

    Reply

Deixe um comentário

ADICIONE SEU EMAIL
Junte-se ao grupo de pessoas que recebem nossos emails.

Share This