Como promover a interação entre os alunos portadores de necessidades especiais e os professores

Como promover a interação entre os alunos portadores de necessidades especiais e os professores

A educação inclusiva é uma realidade atualmente, e isso é muito bom. Trabalhar com portadores de necessidades especiais traz benefícios aos alunos especiais, aos demais alunos e aos professores. Essa interação gera crescimento das habilidades cognitivas e emocionais.

Porém, para alguns educadores, esse processo pode ser meio assustador, pois ao adentrar em uma sala de aula e ter o primeiro contato com os alunos especiais, nem sempre o educador sabe como lidar com ele, e sente-se despreparado, sem saber ao certo como será a aprendizagem e a interação com estes alunos.

Surge também a dúvida a respeito de qual tipo de necessidade especial determinado aluno possui, e isso pode causar certo desconforto, e o próprio aluno pode sentir-se ansioso, quando não conhece o professor.

Descrevemos aqui um meio da escola minimizar estes sentimentos. Saiba como:

Promova a interação com um coffee-break especial

Antes do início das aulas, nos meses em que os professores estão reunindo-se, o coordenador pedagógico pode separar um dia para preparar um chá especial. Os procedimentos são simples:

  • Combine com os pais um dia, umas duas horas antes da reunião de professores, para receber os alunos especiais na escola;
  • Selecione um ou mais funcionários da escola, que não sejam professores, para organizarem um chá;
  • A escola deverá ter pelo menos duas garrafas térmicas, uma ou duas jarras de suco, guardanapos e copos descartáveis, utensílios grandes de plástico, uma toalha, uma mesa vazia em um canto na sala dos professores, uma ou duas carteiras escolares, notas de brinquedo, receitas de patês;
  • Os alunos deverão ir à um supermercado com os funcionários, e comprar pães, bolos e ingredientes para fazer patês, sucos, chá e café;
  • Se for possível, os alunos deverão auxiliar os funcionários ou fazerem por si mesmos os patês e sucos. É até possível fazer biscoitos ou bolos na própria escola, contanto que isso não seja perigoso para os alunos;
  • Os alunos irão elaborar o menu com as bebidas e as comidas, e preço delas, de acordo com a quantidade de dinheiro de brinquedo que tiverem, e vales onde estejam escritos, por exemplo: vale um pão com patê;
  • Pegando os professores de surpresa, os alunos entrarão na sala dos professores junto com os funcionários, colocarão a toalha na mesa e farão a disposição dos pães e patês e dos bolos;
  • Um dos alunos deve ser o porta-voz do grupo, convidando os professores a tomarem um café;
  • Os alunos distribuirão uma determinada quantia em dinheiro que será a mesma para cada um dos professores;
  • Os professores então se dirigirão às carteiras, onde ficarão os alunos que serão os caixas, que cobrarão pelas bebidas e alimentação;
  • Um outro aluno entregará o vale, de acordo com o que foi comprado.
  • Se necessário, o aluno caixa deverá somar ou dar troco. Se necessário, providencie uma calculadora
  • Os demais alunos servirão os professores, que não poderão tocar na mesa. A intenção é fazer com que os alunos executem todas as ações. Os patês, por exemplo, podem estar em potes, o que fará com que um aluno tenha que passar o patê dentro do pão. O ideal é que os pães sejam cortados com antecedência, para evitar riscos.

Após todos estarem servidos, inclusive os alunos, eles e os professores poderão se sentar juntos e conversarem. Dessa forma, a interação que terão depois em sala de aula será muito mais agradável!

Gostou de nosso post? Deixe seu comentário!

Baixe nossos materiais educativos e acesse também nossa página do Facebook!

Deixe um comentário

ADICIONE SEU EMAIL
Junte-se ao grupo de pessoas que recebem nossos emails.

Share This